sábado, 20 de julho de 2013

Henry Miller ao sábado




#Ẹra uma vez uma rainha de cabelos de ouro e nádegas de ébano. Ela vinha do Trópico de Capricórnio, que fica abaixo da linha do Equador. Sua língua era de mercúrio e ela adorava estranhos deuses. Eles eram de tamanho e peso proporcionais. Ela os reunia, quando queria divertir-se, e os escondia num cofre. Às vezes usava-os em torno do pescoço, como contas. Frequentemente, quando saía para passear, dizia consigo mesma: “Ainda há lugar no cofre para outro deus”. Por isso mesmo, ao som de passos indubitavelmente divinos, ela se prostraria aos pés de um desconhecido e diria: Você é meu deus! E eu o adorarei para sempre...sempre!”. Por ser impulsiva demais para observar detidamente o que via, descobriria um dia que se enganara, que dera sua devoção a uma vaca ou a um golfinho.#

(Henry Miller – Crazy Cook, tradução: Raul de Sá Barbosa)


Postar um comentário