domingo, 14 de outubro de 2012

Cinema depois da hora



"Acordados, eles dormem."
Freud

Sempre penso a vida de maneira fluxível, do longe eu vejo o perto, ao lado me distancio eternamente, como se eu estivesse partindo da Terra para sempre. É como se estivesse na luz do tempo, a sumir, clarão ao fim, uma corrida. Fuga, uma caminhada e deslizar em nuvens, nas águas, no espaço, uma sinfonia sem onde chegar, como se o acordar, o pressentir dos dias, fosse o presente dos tempos.


Postar um comentário