sábado, 10 de setembro de 2011

Réquiem para as Twin Towers




"É bastante logicamente que a ascensão da potência exacerba a vontade de destruí-la. Mas há mais: de alguma forma, ela é cúmplice da sua própria destruição. Essa denegação interna torna-se mais forte na medida em que o sistema se aproxima da perfeição e de ser Todo-Poderoso. Tudo aconteceu, portanto, através de uma espécie de cumplicidade imprevisível, como se o sistema inteiro, fragilizado internamente, entrasse no jogo da sua própria liquidação, logo no jogo do terrorismo. Disse-se: 'Deus não pode declarar guerra a si mesmo'. Sim, pode. O Ocidente, na posição de Deus, divinamente Todo-Poderoso e de legitimidade moral absoluta, torna-se suicida e declara guerra a si mesmo." 
Fragmento de Power Inferno de Jean Baudrillard


Capa de Vitor Hugo Turuga
Tradução de Juremir Machado da Silva
Editora Sulina, 2003.
Postar um comentário