domingo, 23 de novembro de 2014

Contemporâneas


    Roma
“O que havia de imóvel e de congelado em nossa percepção se reaquece e se põe em movimento.” Henri Bergson

Mãos que escorregam, lábil entre névoas,

abrem os caminhos dos olhos,

através dos cabelos ‒ Invadem.

O corpo é enlace dos dedos,

o firme propósito é atar para não cair.

Mãos moventes, reveladoras, aprovam!

Desfazem as intuições, ação movida.

Mãos escritas, dedos de pensar no século XXI.

(A Paul Celan (Cernăuţi, 23 de novembro de 1920 — Paris, 20 de abril de 1970) foi um poeta romeno radicado na França.)




Postar um comentário