terça-feira, 29 de abril de 2014

Erótica



“E eras assim... Por que não deste
Um raio, brando, ao teu viver!”
Pedro Kilkerry
Morro de medo de não te ver gozando em meus olhos,
Morro e mato o medo por não tê-la mais,
Se fosse um inseto viajaria em teu sexo,
Dormiria em ti, dividiria teu prazer,
Rasgaria tuas roupas,
Envenenaria teus e-mails,
Amaria teu mijo, morderia teu clitóris.

Se fosse o fim do mundo,
Morreria em tuas pernas.
Morro de medo em não te ver mais em minha porta.
Pernas nos vitrais,
Riso chapado em meus sonhos.
A boca engolindo tudo, enlouquecida aos viralatas da cidade.
E eu a morder a cartilagem de tua vida.

O prazer é seu, o gozo é meu, a dor é de nós dois.

Postar um comentário