domingo, 6 de junho de 2010

Meu Castelo




Fora dos olhos que não são teus, e tudo é lido por todos. Agora as imagens são lidas por todos e tudo, protesto, e mais do que isso, é você queimando sem ser uma bandeira, logo você que morou ao lado meu, lida com as mãos e olhos, agora consumida, desespero na leitura, a vida em vão, se afasta do meu castelo... Some dos olhos guardiães, cinza de fogo dos outros, dos inimigos de Altaforte que se refugiaram no mato antes de invadir minha fortaleza.


"Bertrans, mestre de arte,
Bertrans de Altaforte irá louvar-te
E ainda que bem me querias mal
Ainda que me desejes mil
Males afinal,
Audiart, Audiart,
Levará meu sinal,
Audiart,..."
(Ezra Pound - Na Audiart - Tradução de Augusto de Campos)
Postar um comentário