domingo, 9 de setembro de 2007


Foto de Sophie Calle



Do Real ao Imaginário

“O que é dito não atormenta mais e por isso mesmo tranquiliza.”
Da Lógica da Dominação de Michel Maffesoli



É preciso se estar acordado para podermos sonhar no ínterim em que conhecemos as pessoas até o momento que o estranhamento toma seu lugar de origem, qual seja, o de nos defrontarmos com situações inusitadas e de imaginarmos dentro do mundo, do imaginário das pessoas até perdermos o horizonte do nosso mundo.
O que é sonhado é aprendido no momento que tomamos a forma de lembrar, de narrar, quando tomamos as rédeas deste sonho e conseguimos nos safar dos desfechos reais. Muitas vezes optamos por estar no ambiente catártico do sonho tomando forma e corpo de escritura. A Maquinaria de Linguagem é esse retorno ao onírico, ao imaginário dos amantes, do pensamento que não se priva de conhecer o Outro sem que possa acordar e prontamente levantar com os que ainda estão sonhando na realidade.
Postar um comentário