domingo, 16 de novembro de 2008

O instante final da literatura


Guliette Greco



“Se o sexo só existe falado, discorrido, confessado, o que haveria antes que se falasse dele?” Jean Baudrillard



A literatura é como o poder por já não estar em lugar algum, está em todo lugar: na praça, no imaginário mais tacanho do leitor de auto-ajuda ao leitor de romances legitimados pela cultura da maioria elitizada. A literatura do Sul, do Brasil, essa literatura não está mais no plano do Real, porque se assim estivesse ela sucumbiria mais adiante no excesso das coisas que já não conseguem mais produzir o Real. Enfastiada de letras a praça se esvazia mas você continua no tempo, atirada, à espera da noite, do som, de beijos, do acordar em meio a tanto desprezo dos leitores que no tempo passam entre a beleza e o envelhecimento da juventude.
Postar um comentário